16
abr
10

Sucesso nos Quadrinhos. Nem tão bons assim no cinema

Por Betânia Soares

Demolidor

Personagem da Marvel, o Demolidor (Daredevil) foi criado por Stan Lee, assim como o Homem Aranha e o Homem de Ferro. Foi publicado pela primeira vez em 1964.

Matthew Michael Murdock, ou “Matt”, era um aluno brilhante e um grande atleta, característica esta que ele escondia do pai, um boxeador decadente que só queria vê-lo dedicado aos estudos. Quando adolescente, Matt sofreu um acidente com um caminhão de lixo tóxico. O jovem ficou cego, no entanto, seus outros sentidos foram aguçados, fazendo dele um exímio lutador. O nome “Demolidor” foi uma homenagem ao pai morto por não querer entregar uma luta de boxe.

O super-herói de vida dupla é um advogado durante o dia e sai pelas noites com seu uniforme combatendo o crime em um bairro de Nova Iorque. Ele é um herói solitário, mas é assessor jurídico de heróis como o Quarteto Fantástico. Seu melhor amigo é o Homem Aranha, para quem revelou sua identidade secreta e guardou o mesmo segredo do aracnídeo.

 

 

O filme sobre ele é do diretor Mark Steven Johnson e chegou aos cinemas em 2003. Nele, Ben Affleck é o Demolidor. O romance entre ele e Elektra aparece na produção, e a personagem, interpretada por Jennifer Garner, ganha grande destaque. Tanto que uns anos depois um filme seria lançado levando o nome dela, dando continuidade à sua história no filme do Demolidor, onde é seriamente ferida. Demolidor: o homem sem medo, atraiu muitos fãs ao cinema, afinal, um herói de Marvel tem sempre seguidores esperando por novidades. Mas, se comparado com a produção de Homem Aranha, o filme deixa a desejar.

 

 

 

Elektra

Elektra foi criada por Frank Miller para a revista Daredevil, aparecendo pela primeira vez em 1981. Frank, em parcerias mais recentes com diretores como Quentin Tarantino e Robert Rodriguez, também levou aos cinemas Sin City, de 2005, e 300, de 2007.

 Elektra é inspirada no mito grego que leva o mesmo nome. Assim como na mitologia, ela é movida pela dor e revolta por causa da perda do pai e se torna uma cruel assassina. Sua roupa é vermelha e sua arma é a Sai, uma espécie de adaga ninja. A força da personagem está em sua fúria e na extrema habilidade com a luta.

No cinema, o filme Elektra, dirigido por Bob Bowman, saiu em 2005, de novo com Jennifer Garner dando vida à sanguinária. Apesar da força e do sucesso que os quadrinhos de Elektra fizeram, a versão liveaction não agradou tanto assim. O filme mudou um pouco a história original e Elektra não é expressiva quanto poderia ser. Na produção, existe um grande conflito entre o lado mau da vilã, mandada para matar uma garotinha de 13 anos e seu pai, e o lado bom, aquecido pelo mistério de sua ressurreição.

 

O filme dá sequencia à história inacabada da personagem em Demolidor: o homem sem medo, com Bem Affleck no papel do super-herói cego com quem forma par romântico. Elektra, a charmosa vilã da Marvel, passa a buscar redenção depois de sua morte nas mãos do Mercenário e sua mística volta à vida.

 

Anúncios

1 Response to “Sucesso nos Quadrinhos. Nem tão bons assim no cinema”


  1. 1 Thiago
    abril 17, 2010 às 11:17 pm

    Achei muito interessante esse seu comentário/resumo sobre o Demolidor e sobre a Elektra. Pelo visto se dedicou muito nele, e acho que faltou uma fotinha do filme Demolidor. Gostei mesmo.
    Bjx! Thi


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: