15
abr
10

cão rouba a cena e faz público chorar

por Annelise Medeiros

Quando for assistir a Sempre ao seu lado, lembre-se: o filme é baseado em fatos reais.

Como assim um cachorro seria digno de tanta lealdade? Nos parece inadimissível um cachorro se apegar tanto ao seu dono e ser capaz de durante 9 anos ficar à sua espera no terminal de trem assim como ficava todos os dias enquanto o dono ainda era vivo. Hoje em dia há inclusive uma estátua no lugar onde Hachi, o cachorro, esperou durante muito tempo por seu dono que já nao passava mais por ali.

A história em si é bonita, mas não é digna de elogios bárbaros ou grandes recomendações. Se você gostar muito de cachorro vale a pena, ao contrário disso, saiba que o roteiro não tem aquele climax que provoca ansiedade no espectador a espera do famoso: “meu Deus, o quê vai acontecer?!”

O filme é uma versão japonesa da história chamada Hachiko Monogatari. O roteiro se resume a um pianista, coreógrafo de ballet e também professor que encontra um lindo filhote de raça japonesa no terminal de trem na volta pra casa. Ele vai em busca do dono do cão e não o encontra. Sua mulher não permite que ele crie o cachorro, até ela se sensibilizar ao ver a grande ligação que havia entre ambos. Hachi fica e vai se desenvolvendo ao lado de Parker (Richard Gere) que é sempre muito carinhoso com o animal. Os anos passam e Hachi se habitua a todos os dias esperar seu dono na estação de trem na volta do trabalho. Mesmo com o falecimento de Parker, o cachorro não daixa de ir até à estação e ficar na mesma praça esperando todos os dias seu dono voltar.

A insistência e a lealdade de Hachi são fatores admiráveis num cachorro, por isso nos comeve e faz com que, os intitulados “manteiga derretida”, chorem durante o filme. Pois não é sempre que vemos sensações humanas em animais, e neste filme, diria que o sentimento de Hachi ultrapassa esses sentimentos.

Luis B. escreve no site http://www.cinepop.com.br/filmes/sempreaoseulado.php que “a trilha, a tensão, até o título em português, o nome HACHIKO, enfim, tudo é perfeito nesse filme”. Realmente a trilha é algo muito agradável no filme, sempre um piano ao fundo ajudando no andamento do filme.

A câmera muitas vezes se passa pelo olhar do cachorro, personificando ainda mais o animal. Para isso, o diretor faz até uso de uma imagem com menos cor para diferenciar o olhar do animal do olhar do espectador. Este truque poderia ser melhor aproveitado e, na medida que não fosse tão contrastante as cores que identificavam cada tipo de visão, esta troca repentina poderia ser melhor aceita pelo expectador. A falta de cor na representação do que Hachi vê, cria um certo estranhamento no olhar do público.

Sobre Richard Gere, deixo os outros comentarem pois, como mulher, sou suspeita de falar, afinal ele é muito chamorso. Mas o que os internautas comentaram do ator nao foge muito do que as mulheres pensam. No site http://cinemacomrapadura.com.br/criticas/153334/sempre-ao-seu-lado/ , Thiago Siqueira acha que “Richard Gere se sai muito bem como Parker, se utilizando de seu carisma natural e charme do clássico “bom-moço” para fazer sua ligação com a audiência.”

É um filme bom de se ver, mas não vá com muitas expectativas. Sempre é bom não ir com muita expectativa seja assistir o filme que for. Sem contar que também é sempre gratificante quando o filme vai além do que se espera, quando te pega de surpresa.

Muito gostoso quando um filme consegue te atingir, te envolver de uma forma muito interessante. São poucos os filmes que provocam lágrimas sinceras no espectador. Pois então eu proponho um debate, enquanto preparo aqui um post sobre mais um filme que faz chorar, quero saber de vocês, conte para o vamosfalardecinema qual foi o ultimo filme que lembram que o fez chorar. Os filmes comentados vão ter um lugarzinho neste blog, pode ter certeza! Participe!!

Anúncios

5 Responses to “cão rouba a cena e faz público chorar”


  1. abril 17, 2010 às 12:39 pm

    Ahhh muito boa crítica em relação ao filme!
    Está de parabens, além de saber dançar muito bem, é uma ótima escritora!

  2. abril 18, 2010 às 7:28 pm

    A vista do cão é assim mesmo, que eu saiba eles não enxergam algumas cores (acho q a vermelha é a principal que eles não veem) e não veem as coisas cm mtos detalhes. Mas nesse filme,qm precisa “ver”, afinal? Há de se “sentir” esse filme. E o cão não precisa “roubar” a cena. A cena é dele mesmo.

    Belo filme Anne, comprei, chorei e solucei. Dói a alma.

    kisses
    Yumi

  3. abril 18, 2010 às 10:00 pm

    Adorei a matéria. Tenho certeza que seria uma forte candidata a chorar vendo um filme desses. Beijo, meninas :*

  4. 4 Eric Visintainer
    abril 26, 2010 às 12:44 am

    Sempre ao seu lado com cetteza é o melhor drama dos ultimos tempos, como a jornalista diz acima. Interessante o fato também de que é uma adaptação de um filme Japones. Também “sensações humanas em animais” é muto aparente no filme o com certeza aumenta o índice de aceitação para o filme.
    Que matéria bem redigida e editada.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: